arroz

22 de Maio, 2020

Arroz: uma viagem pelo mundo

O nosso arroz de todos os dias é, sem dúvida, um dos alimentos mais versáteis no cardápio mundial. Sim, porque em todos os cantos do planeta o arroz é consumido. E das formas mais diferentes possíveis. Fonte de fibras e minerais, o alimento é base para tantas receitas que é possível viajar o mundo só elencando algumas delas. 

Se no Brasil o arroz ideal é aquele que fica soltinho no prato, para os “inventores” da especiaria, a regra é outra. Na China e no Japão, o grão é utilizado para receitas com mais consistência, por isso devem ficar mais grudadinhos em sushis ou niguiris – no caso dos japoneses – e no arroz cantonês (ou contonês), receita chinesa que leva também carne de porco, ovos e legumes.

Arroz cantonês (ou contonês), receita chinesa que leva carne de porco, ovos e legumes

Além dos países da Ásia, na Europa também o arroz é bastante consumido. Principalmente nos países da Península Ibérica – Espanha e Portugal. Mas em outras regiões do Velho Continente, como Grécia, Itália e França, a iguaria também está presente. Nesses países, a procura é maior do que a produção, o que ajuda a tornar a União Europeia a 7ª maior importadora do grão no mundo. O ranking é liderado pela China.

As muitas culturas diferentes da Europa também estão retratadas na distância entre as receitas que envolvem o grão. Na Espanha, por exemplo, a mundialmente famosa Paella (que ganhou esse nome devido à frigideira na qual é preparada) traz elementos presentes na cozinha daquele país, como frutos do mar, peixe e especiarias.

Paella: receita típica da Espanha

Já na Itália, país que conta com uma das gastronomias mais celebradas do mundo, o arroz está muito presente nas receitas de risotos. O prato, feito com arroz específico (arbóreo, vialone nano ou carnaroli), conta com diversas variedades. Algumas bem peculiares, como a que leva miúdos de galinha.

Risoto: tradição italiana

Oriente Médio

O mundo árabe conta com uma cozinha repleta de especiarias, muito aromática e com diversos ingredientes. Muitos dos pratos produzidos em países como o Líbano, Síria e Turquia são famosos por aqui. É o caso dos kebabs, kibes e das pastas como homus, coalhada seca e babaganoush.

O arroz também está presente nessa culinária. A mjadra é um dos exemplos. Tradicional prato da cozinha árabe, usa o arroz como base. Ele é cozido junto com lentilha e ainda conta com cebola caramelizada. Normalmente é acompanhado de kibe, o que não é uma norma.

Mjadra

Na Arábia Saudita, é comum que as festas contem com um recipiente enorme de Kabsa, uma receita feita com arroz e carne de cordeiro, que pode ser substituída por frango. O cozimento da carne é feito com especiarias e o caldo derivado do processo é que vai dar sabor ao arroz. Nas festas, a receita é servida em um prato gigante, compartilhado por todos. Cada um em seu cantinho.

Kabsa com frango

África

Em Senegal, um dos pratos mais tradicionais do país é feito também à base de arroz. Trata-se do Thiebou Dieune. Além do grão, ele também leva peixe, que pode ser o dourado ou o bacalhau. O prato ainda conta com tomate, mandioca e quiabo. Ele é servido com um molho à base de cebola e muitos temperos.

Da África do Sul vem uma receita famosa em diferentes países do mundo: o arroz amarelo sul-africano. Além de arroz do tipo agulhinha, o prato ainda conta com açúcar, açafrão, uva passa e canela. A combinação agridoce tem um resultado parecido com o do também famoso arroz à grega.

Thiebou Dieune

Américas

Para completar essa volta ao mundo pelas receitas com arroz, nossa próxima parada é nas Américas, onde muitos países, assim como o Brasil, consomem arroz diariamente. Começamos com os Estados Unidos, um dos maiores produtores do grão no mundo. 

Quem visitar a charmosa cidade de New Orleans, capital da Louisiana, com certeza vai se deparar com uma receita de Jambalaya pelos cardápios. Apesar de contar com variações, o prato é conhecido pelas tons apimentados. Além do arroz, ele ainda conta com linguiças picantes, frango e pimentão. 

Jambalaya

Descendo um pouco mais, para a América Central, a Costa Rica é um país com hábitos alimentares parecidos com os do Brasil. O arroz e o feijão são a base dos principais pratos. As sobras de uma refeição, no entanto, geralmente têm um destino curioso: a receita chamada Gallo Pinto

O Gallo Pinto nasce de outra característica bem comum por aqui, o aproveitamento das sobras, pois os costa-riquenhos usam o arroz e o feijão que restaram do dia anterior para misturar e moer a dobradinha. Depois disso, essa mistura é servida com ovos, tortilha de milho e molho de natas.

Gallo Pinto

Já na América do Sul, a culinária colombiana ousa bastante na mistura dos sabores na hora de usar o arroz em suas receitas. Por lá, o arroz e feijão de todos os dias pode vir acompanhado de abacate, ou até mesmo em receitas com leite de coco.

É o caso do arroz com coco, que é famoso no litoral do país. Trata-se de um arroz feito com leite de coco, inclusive servido dentro da própria cuia da fruta. Ele vem acompanhado de peixe frito e patacones – bolinho de banana verde frita.